Bullet Journal 4 - Passo a Passo

Atualizado: Mar 18


Como funciona


O bullet journal é totalmente personalizável, cada um cria sua estratégia. Ele funciona à base do que chamamos de entradas rápidas: são pequenos textos (muitas vezes em poucas palavras) que vão fazer parte de categorias e sempre vão ser encontrados num índice.

Conforme o tempo vai passando, essas entradas rápidas podem ser migradas. Para dar um exemplo, vejam uma página de um bullet journal:


Em cada dia, existem pequenas entradas rápidas. No dia 15 de abril, a "criança" ia ligar para a Vó Sabrina. Por algum motivo, a ligação foi migrada para o dia 16 de abril. Essa migração é uma das características mais importantes do bullet journal. Mais adiante ela vai aparecer de novo.

Todas as entradas rápidas do bullet journal podem ser divididas em três grupos:


- tarefas: coisas que tu tens que fazer (no exemplo acima: "fazer redação", "ligar para vó Sabrina", "comprar livro do Machado de Assis");


- anotações: aquilo que tu queres registrar, pensamentos, ideias etc. (no exemplo acima: "assisti ao documentário...", "falei com a professora de inglês...", "corri 30 minutos...");


- eventos: acontecimentos, compromissos com hora marcada, momentos que tu queiras registrar (no exemplo acima: "Aniversário tio Carlos", "Aula com Itturriet", "Plantão com Prof. Frezza").



Vamos começar?


Precisas de duas coisas para começar: caderno em branco e caneta/lápis. Pode ser qualquer caderno, qualquer caneta. No geral, as pessoas usam cadernos tamanho A5, estilo Moleskine (são mais fáceis de carregar por aí). Podem ser pautados, quadriculados, em branco. Tradicionalmente, se usam os pontilhados. Tu encontras um monte de opções nas papelarias. Os alunos do curso do Professor Itturriet em 2021 ganharam um bullet journal exclusivíssimo, com design luxo minimalista, já com páginas numeradas e pontilhadas.



Passo 1


Deixa a perfeição de lado e aceita que vai errar. Sério! Existe corretivo líquido e em fita para os erros. E faz parte que eles aconteçam no início. Então aceita que tu vais cometer alguns erros e que vais ter que fazer menos do que o perfeito!


Passo 2


Na primeira página do teu bullet journal, escreve "ÍNDICE" bem no alto. O índice vai funcionar exatamente como um índice de livro, uma tabela de conteúdos e páginas. Tudo que tu fores escrever no teu bullet journal vai estar localizado aqui pelo índice. E aqui já começa uma das mágicas! A qualquer momento, tu podes pegar qualquer página em branco e começar a escrever nela o que tu quiseres. Basta voltar no índice e escrever o nome do assunto e a página em que se encontra. Por exemplo, em julho tu estavas conversando com uma amiga, e começaram a pensar em ideias de lugar para viajar e comemorarem a aprovação em Medicina. Sem problema, pega uma página em branco e escreve "Ideias para Viagem de Comemoração" bem em cima, volta no índice e coloca a página. Tu sempre vais saber onde estava aquela anotação. Sugiro que tu deixes umas 4 páginas em branco para o índice. Nesse primeiro momento, não precisa completar o índice, é só o começo. Se o teu bujo não for numerado, escreve os números nas páginas dele. Não precisas numerar todas, pode fazer aos poucos; numera de 1 a 20.




Passo 3


O próximo passo é criar teu código para as entradas rápidas. E anotar esse código na página chamada Legenda.

Precisas criar um símbolo para tarefas, um para eventos e um para anotações. Pode criar o teu sistema de símbolos. Para as tarefas e eventos, tens que criar as variações: tarefa cumprida, tarefa cancelada, tarefa transferida etc. Cada entrada rápida que tu fores escrever, vais usar esse código no começo da linha. Seguem alguns exemplos de bullets que tu podes usar:


Passo 4


Agora começa o corpo do teu bullet journal. E ele vai ser composto do que chamamos de coleções: são conjuntos de informações agrupadas por um mesmo tema. A coleção mais básica é a chamada Página Diária, em que tu escreves o dia e lança ali todas as tarefas e eventos previstos e faz anotações do que for relevante. Naquele primeiro exemplo, a página mostrava três coleções diárias: 15, 16 e 17 de abril. Tu vais definir que coleções vais querer criar. As mais comuns, além das coleções diárias, são estas:

- Páginas do Futuro: um grupo de páginas que funcionam como um mega-calendário do ano, com as tarefas, eventos e anotações mais importantes para o ano. Aqui tu encontras alguns exemplos de layouts. Podes iniciar essa coleção a qualquer momento do ano, não precisa ser somente em janeiro. Se tu vais começar teu bujo agora em março, cria as páginas a partir de março mesmo.

- Páginas Mensais: um grupo de páginas para cada mês do ano. Não precisas fazer todas, o ideal é um pouco antes de começar o mês, criar a página dele. Por exemplo, tu podes criar tua página mensal de março agora, e no fim de março montar tua página mensal de abril. Sempre lembra de voltar ao índice e registrar lá. Nesta coleção, vais incluir as tarefas e eventos do mês, pode detalhar um pouco mais. Aqui tens mais alguns exemplos de páginas mensais.

- Páginas Semanais: mais uma coleção de tempo, prevendo a semana que vem pela frente. Também sugiro que faças para cada semana ou para as semanas do mês que vai iniciar. Seguem exemplos aqui neste link.

- Páginas Diárias: tarefas, eventos, anotações do dia. Pode servir como diário, anotando sentimentos, situações, momentos de reflexão.


E aí, tua criatividade e tua necessidade são o limite. Podes criar coleções de hábitos, listas de filmes, listas de livros, lista de séries, lista de gratidão, lista de meditações, lista de aniversariantes, metas... Com o tempo, vamos lançando mais ideias por aqui.


Passo 5

O último passo é a migração conforme a vida for seguindo. Por exemplo, digamos que tu tinhas anotado lá nas tuas Páginas do Futuro o resultado do ENEM para março. Aí em março sai o resultado, e tu tens que acessar o SISU. Vais lançar nas páginas do Futuro ou nas Mensais a tarefa de acessar o SISU. Outro exemplo, tu tinhas previsto escrever uma redação por semana às segundas-feiras de tarde. Todo mês, tu lança nas páginas mensais todas as segundas a tarefa da redação. E se tu fores lançar mais uma tarefa e olha para segunda e pensa: "Bah! Mas tem muita coisa nesse dia!" Que bom! É uma oportunidade de ver o que cabe naquele dia, o que vai precisar trocar de dia, porque não é só o número de linhas que é limitado no teu bujo: teu tempo também. E se, numa segunda-feira específica, não conseguiste fazer a redação, migra a redação para outro dia ou cancela a redação daquela semana. E não te pune, usa como aprendizado para ver o que precisa mudar.



Dica Bônus

Assim que tu receberes teu bujo, procura "quebrar" o miolo. Ele vai estar novinho, por isso a encadernação vai estar mais firme. Neste vídeo do criador do Bullet Journal, o Ryder Carroll mostra em menos de 2 minutos como fazer isso (podes ativar legendas em português se precisares.)




Mais uma novidade especial para quem estuda conosco!

Tenho certeza de que essa ferramenta vai te ajudar muito!

E se alguém aí também lida com TDAH como o Ryder Carroll e o próprio profe aqui, estamos juntos!

😉

32 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo